img1

Decifrando o código para o mundo da Philips, onde a tecnologia tem um
propósito maior.

Parabéns! 
Você resolveu o código! Você é uma pessoa extraordinária!

Como uma empresa global, a Philips procura por todos as partes do
mundo pelos melhores desenvolvedores. Pessoas de diferentes origens, 
movidas pelo objetivo de melhorar o sistema de saúde com suas inovações. 

Mas nem todos os desenvolvedores da Philips são encontrados da maneira tradicional,
às vezes tudo começa descriptografando um código.

A aventura está apenas começando.

Se inscreva para participar de um evento inusitado, onde você poderá conhecer o nosso moderno escritório da Philips Blumenau e aprender mais sobre as melhores práticas de DevOps para aumentar a qualidade e diminuir o tempo de comercialização. 
Tele-UTI

​​​​​​​O que é?
 A tele-UTI permite que os clínicos externos interajam com a equipe de leito para consultar sobre o atendimento ao paciente. Uma equipe de atendimento centralizado pode gerenciar um grande número de locais de UTI geograficamente dispersos para trocar informações de saúde eletronicamente, em tempo real. Uma tele-UTI, como a Philips eICU, é um suplemento - não um substituto - da equipe de leito, oferecendo apoio a recursos clínicos cada vez mais escassos.
img1
img1
Como funciona a Tele-UTI:
Os programas de tele-UTI concentram recursos clínicos em centros de atendimento remoto (uma central de monitoramento) e estendem esses recursos até a beira do leito por meio de tecnologia, independente do centro de atendimento ou da localização do hospital. Usando conferênciass audiovisuais e um fluxo de dados em tempo real de informações de pacientes de várias interfaces, um médico que trabalha em um centro de atendimento em São Paulo pode cuidar rapidamente de um paciente em Salvador e vice-versa, seja de dia ou de noite.
Calculando o valor:
A tele-UTI não apenas desempenha um papel fundamental na gestão regional efetiva das UTIs, mas também impacta positivamente o sistema de saúde como um todo. Ter um centro de monitoramento centralizado de pacientes remotos proporciona a capacidade de consolidar e padronizar os cuidados, reduzir as transferências e, ao mesmo tempo, maximizar a utilização do leito, além de apoiar a equipe local. Isso reduz os custos enquanto aumenta as receitas, o fluxo de pacientes e o gerenciamento de capacidade em todo o sistema.
img1
“A Tele-UTI tem sido um veículo que, através de comunicação contínua, aumentou e aprimorou os resultados clínicos. Este programa transformou a prestação de terapias intensivas em todo o nosso sistema de saúde.”
—Kathy Johnson, RN, MHA
Diretora de Sistemas, Operações TeleHealth, Presence Health” 
img1
Demanda
A demanda por cuidados intensivos aumentará à medida que a população envelhece e a incidência de doenças crônicas aumenta, levando a restrições de capacidade nas UTIs.
Para atender a essa demanda crescente, uma resposta “fácil” é simplesmente adicionar mais leitos de UTI. No entanto, essa abordagem é insustentável, não apenas devido ao alto custo da adição de leitos de UTI totalmente equipados, mas também porque esse aumento nos pacientes de UTI está coincidindo com uma escassez significativa de médicos e enfermeiros de terapias intensivas. E pesquisas indicam que, à medida que a capacidade das UTIs aumentam, também aumenta a demanda por cuidados intensivos.
img1
Fornecimento
Por causa do número limitado de intensivistas e do custo para atraí-los e retê-los, muitos hospitais acham difícil - ou impossível - contratar intensivistas 24/7 para as suas UTIs. Esse problema está crescendo, já que a oferta de intensivistas está projetada para atender apenas 22% da demanda até 2020. Na verdade, o The Leapfrog Group constatou que apenas 47% dos hospitais pesquisados têm a cobertura intensivista recomendada.
img1
Uma solução
Ao alavancar as capacidades de tele-UTI, os hospitais podem fazer o uso ideal de seus recursos de terapias intensivas existentes, em vez de adicionar recursos adicionais. De fato, todo o conceito da tele-UTI nasceu da necessidade de maximizar os recursos e preparar o aumento do uso da UTI. Numerosos estudos demonstram os benefícios clínicos e financeiros da tele-UTI, e o fluxo contínuo de dados de pacientes captados por programas de telessaúde pode permitir que os sistemas de saúde adotem uma abordagem mais baseada em evidências para a saúde da população.

Conheça como é como é trabalhar na Philips Blumenau